Roteiros Turísticos

Levada da Serra de Água ao Curral das Freiras

Este passeio possibilita duas alternativas: uma numa extensão de 14 Km, com a duração de 5 a 6 horas, tem início na Estrada Regional, junto à entrada para a Igreja da Serra de Água e destino à Igreja do Curral das Freiras, a outra hipótese, com igual ponto de partida, numa extensão de 8 Km e duração de 3 a 4 horas, desemboca no Miradouro da Encumeada. É aconselhável o uso de bordão ao longo deste passeio.

Alguns pontos sinalizam o trajecto deste passeio: o Lombo Moleiro; a ponte sobre a Ribeira do Poço que permite o acesso ao Caminho Matias; o túnel maior da Levada do Norte e Curral Jangão, mas antes de aqui chegar, é preciso estar atento porque em plena floresta a vereda subdivide-se em dois ramos: o da esquerda permite o acesso à Levada do Norte, à Central Hidroeléctrica da Serra de Água e à Pousada dos Vinháticos, ao passo que o outro segue em direcção ao Curral Jangão.
A partir daqui, no cruzamento com o velho caminho entre o Estreito de Câmara de Lobos e a Encumeada, é possível seguir em direcção ao Chão da Relva ou para a Encumedada. Do Chão da Relva pode-se de novo optar entre a direcção do posto florestal da Boca da Corrida ou descer para a Fajã Escura no Curral das Freiras, passando sobre a Ribeira dos Socorridos.
Ao longo do percurso poderá observar azevinhos (Ilex canariensis), loureiros, vinháticos, pau branco, castanheiros, eucaliptos, dedaleiras, fetos, flores diversas, criação de gado vacum, agricultura intensiva, além de outras surpresas que esperam por si.

Se estiver interessado no percurso inverso não se esqueça dos seguintes pontos de referência:
Encumeada - Picos: Encumeda -" Meio -" Ferreiro -" Jorge -" Casado -" Torrinhas -" -" Lapa da Cadela -" Ruivo - e Achada do Teixeira.

 

PR 12 Caminho Real da Encumeada

Ponto de Partida: Boca da Corrida
Ponto de Chegada: Encumeada
Tempo: 6h30    Extensão: 12,5km

Este trilho tem início no Miradouro da Boca da Corrida e finaliza na estrada regional E.R.228 na Encumeada. O percurso situa-se numa altitude entre os 1340 e os 940 metros, atravessando o maciço Montanhoso Central, junto à base dos picos mais altos da ilha da Madeira.

Este percurso foi o antigo “Caminho Real” calcetado, uma das principais vias para a movimentação de pessoas na ilha. Utilizado por senhorios a cavalo enquanto as suas esposas eram transportadas em redes (meio de transporte). Há referências de ter existido algures neste caminho uma mercearia que provavelmente estabelecia um ponto de comércio, numa zona de passagem dos caminhantes que cruzavam a ilha.

Ao longo deste percurso, pode ser observado o Curral das Freiras, pequena vila existente numa depressão rodeada por montanhas e pelas suas características tornou-se em 1566 o refúgio das freiras do Convento de Santa Clara, aquando dos ataques dos piratas ao Funchal, levando com elas o tesouro do convento.

Os cursos de água existentes ao longo do trilho rasgam os montes, cobertos de vegetação de uma das florestas indígenas da Madeira, a Floresta Laurissilva. Aqui são observadas espécies vegetais como o Loureiro (Laurus novocanariensis), o Vinhático (Persea indica), Til (Ocotea foetens) e estreleiras (Argyranthemum pinnatifidum).

Ao longo do percurso podem ser observadas espécies da avifauna indígena como o Bis-Bis (Regulus ignicapillus maderensis), o Tentilhão (Fringilla coelebs maderensis), a Manta (Buteo buteo harterti), o Francelho (Falco tinnunculus canariensis), o Pombo trocaz (Columba trocaz) e a Lavandeira (Motacilla cinerea).

Ao contornar o Pico Grande pode observar a povoação da Serra D´Água e a Encumeada. O percurso finaliza na Boca da Encumeada, um pouco antes o caminhante, pode observar os tubos de água que irão abastecer a Central Hidroeléctrica da Serra D´Água.

Visitantes

Hoje217
Ontem891
Semana5528
Mensal4399
Total377964

Acompanhe-nos:
facebook